Davi Maia debate questão de marisqueiras afetadas pelos impactos do óleo

segunda-feira, 25 Novembro 2019 - 16:42
Reunião Marisqueiras

Considerado patrimônio imaterial de Alagoas em 2014, o sururu é uma importante fonte de renda para milhares de pescadores alagoanos. No entanto, o petróleo que atingiu as praias nordestinas tem diminuído em até 50% a procura pelo produto.

O medo da contaminação dos pescados com o petróleo tem preponderado na decisão de compra dos consumidores, conforme matérias veiculadas na imprensa local.  Muitos pescadores optaram por reduzir o preço, de R$ 10 para até R$ 3, sem muito efeito.

“Um dos grupos mais afetados por esse problema é a Cooperativa de Marisqueiras Mulheres Guerreiras, do Vergel do Lago, que esteve em meu gabinete na segunda para conversar e pedir nosso auxílio para tentar diminuir o impacto na renda desses trabalhadores”, explica o presidente da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), deputado Davi Maia (DEM).

Durante a reunião, as marisqueiras relataram a preocupação que além desse impacto do óleo, venha a atingir o período da baixa de salinidade da lagoa de maio a setembro. Além disso, o parlamentar se comprometeu a incluir a classe na Lei Amigo Trabalhador para destinar recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).

Maia também esteve no Ministério da Agricultura em Alagoas, onde reuniu-se com o superintendente, Alay Correia de Amorim, nesta terça-feira (26).

“Tivemos uma conversa muito produtiva, deixamos o superintendente ciente das demandas dessa população e tentaremos também uma reunião com a deputa federal e Ministra da Agricultura, Tereza Cristina”, afirma.